Imprimir esta página
Quinta, 26 Março 2015 10:19

Higiene e Toxicologia Ocupacional

A Toxicologia Ocupacional é uma área da toxicologia que estuda os princípios e métodos para identificação, gestão e controle dos compostos químicos no ambiente de trabalho, buscando o uso adequado e seguro de agentes químicos que podem oferecer risco ao trabalhador. Dessa forma, a Toxicologia Ocupacional tem por objeto de estudo o trabalhador. Enquanto a Higiene Ocupacional, complemento da Toxicologia Ocupacional, estuda os ambientes ocupacionais.


Para fins de prevenção e retorno à atividade ocupacional, é de fundamental importância que a doença seja caracterizada como profissional ou do trabalho, embora, para o diagnóstico e tratamento, o estabelecimento da relação causal não tenha influência na abordagem terapêutica e nem no prognóstico das doenças. Entretanto, nem sempre é fácil estabelecer esse nexo causal entre a exposição ocupacional e o aparecimento das doenças.


Introdução e conceituação: de higiene do trabalho

A higiene do trabalho ou higiene ocupacional corresponde a um conjunto de procedimentos preventivos relacionados ao ambiente do trabalho, visando a redução de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.


Uma dessas medidas da higiene do trabalho é a avaliação do risco ergonômico no ambiente de trabalho, análise utilizada na identificação de fatores que possam prejudicar a saúde do trabalhador e para decisão sobre o pagamento adicional de insalubridade e/ou periculosidade, buscando sempre a eliminação ou o controle desses riscos e a redução do adoecimento do trabalhador.


A Higiene do Trabalho dedica-se principalmente à antecipação, reconhecimento, avaliação e controle de fatores e riscos ambientais originados nos ambientes de trabalho e que podem causar doenças, prejuízos para a saúde ou ao bem-estar dos trabalhadores, como também para os ambientes vizinhos e para o meio ambiente em geral.


A higiene do trabalho está direta ou indiretamente relacionada com diversas áreas de conhecimentos diversos:

a) Direito – com relação aos direitos previdenciário e civil, os dados sobre a avaliação de exposição a riscos ambientais auxiliam na concessão de aposentadoria especial e indenizações por incapacidade e/ou doenças do trabalho. A higiene do trabalho fornece ainda subsídios técnicos para solução de problemas envolvendo insalubridade;

b) Engenharia 
– a engenharia é uma ciência presente em todas as etapas de um programa de higiene do trabalho. Ela é essencial no reconhecimento, avaliação e controle dos riscos ambientais, como será abordado em todo este trabalho;

c) Ergonomia – a higiene do trabalho busca além da detecção de atividades insalubres, a melhoria do conforto e qualidade de vida do trabalhador no seu ambiente de trabalho;

d) Saneamento e meio ambiente 
– o processo de avaliação e controle de riscos ocupacionais ultrapassa os limites do ambiente de trabalho. Por meio da prevenção adequada dos riscos ocupacionais, o impacto negativo da industrialização no meio ambiente pode ser apreciavelmente reduzido, e favorecer o bem-estar do meio ambiente em geral;

e) Psicologia e sociologia 
– a psicologia e a sociologia tratam de harmonizar as relações entre o processo produtivo, o ambiente de trabalho e o homem;

f) Medicina do Trabalho – o processo de controle biológico, por meio de exames médicos, é um dos parâmetros utilizados para verificar a eficiência das medidas em higiene do trabalho.

 

 

Fonte: PortalEducação